Publicação em destaque

2º Sorteio My Best Toys Mistery Box - Deluxe edition...

A Mistery Box está de volta ao My Best Toys e desta vez é um artigo de luxo. O sistema de rifas é o mesmo e desta vez o artigo em que...

domingo, 4 de março de 2018

Leituras do Best...UK Masters of the Universe Annual 1984...

Embora a ideia de Masters of the Universe tenha sido americana, muito se produziu no Reino Unido que é digno de destaque.
Coleccionadores de todo o mundo veneram a maior parte destas excelentes publicações e para além dos comics, que vieram mais tarde, os anuais são qualquer coisa de espectacular e cheios de informações e pequenos detalhes que são, no seu todo, a unificação do que chamamos hoje de Masters of the Universe.


O Primeiro anual a aparecer no mercado é este que apresento aqui e que foi para as bancas em 1983 no interior apareça a data de 1984. Tinha quase tudo a ver com os mini comics que vinham com as figuras de acção.
Concebido num formato ligeiramente maior que um A4, a World International Publishing Limited, põe no mercado um volume de luxo, em capa dura e com fotografias que são algo de fantástico para qualquer coleccionador. Logo nas primeiras páginas existe um pequeno capítulo intitulado "Our Warriors" e "Skeletor and his Allies" que mostra os principais heróis e vilões de Eternia, com fotos dos primeiros protótipos das figuras que viriam a ser os Masters of the Universe.


Depois desta pequena apresentação começam as histórias ilustradas, algumas com páginas a cores e outras com as ilustrações coloridas em tons de rosa.


"The Traveller" é a primeira história e conta como o príncipe Amberis, um viajante de Auricornia desce das Ice Mountains decidido a explorar Eternia contra os desejos da sua mãe, a rainha.
Assim que desde das montanhas é capturado por Skeletor e levado para um mercado para ser vendido como produto exótico. É nesta altura que Adam, Teela, Gorpo e Cringer aparecem no mercado e é onde se desenrola toda a acção assim que descobre Amberis preso numa pequena jaula...


A segunda história, "The Shrine of the Iron Mountains" conta como Skeletor, Tri-Clops e Beast Man, seguindo uma lenda sobre um santuário cheio de riquezas nas Iron Mountains, se preparam para roubar o tesouro lendário. Depois de alertado pela Sorceress, He-Man e os seus aliados Gorpo, Stratos e Teela, seguem para as montanhas com o objectivo de deter Skeletor...


Em "The Fight for Prison Star", Teela é capturada por Man-E-Faces que tem a sua personalidade monstruosa controlada por Skeletor e é levada para Point Dread. Gorpo, que testemunha o rapto alerta He-Man que depressa descobre o plano de Skeletor de usar Teela como refém para libertar Faker da terrível prisão conhecida como Prison Star...


"The Time Portal Opens" é a terceira aventura onde Adam e Cringer, depois de explorarem os sótãos do Palacio Real, dão de caras com o espírito de uma rainha de tempos idos que lhes pede ajuda para voltarem a abrir o Time Portal e ajuda-la a regressar ao seu próprio tempo...


A quarta história é "The Lodestone of Iron Forest". He-Man apressa-se para a Iron Forest para ajudar os anões que aí vivem porque Skeletor quer roubar a Lodestone que está na posse do povo da floresta desde sempre...


"The Crown of Tarn" é o ultimo conto e irá levar Adam, Cringer e Man-At.Arms ao Reino de Tarn, de onde a coroa real foi roubada e o mistério é muito maior e mais perigoso do que parece...


Lá pelo meio o livro ainda trás publicidade e uma explicação para os veículos da linha, com fotos muito especiais.
Os desenhos não são maus de todo e embora as histórias se centrem muito em He-Man e Skeletor, não deixam de ter algo de mágico.
Nestas histórias Orko é ainda conhecido como Gorpo (nome original escolhido para a personagem) e o príncipe Adam só se transforma em He-Man se bater com a Power Sword numa pedra, coisa que acontece apenas neste volume e que nunca mais é mencionado outra vez.


O livro termina com um tabuleiro de jogo muito interessantes e fácil de jogar.
Um volume espectacular e essencial para qualquer apreciador dos Masters of the Universe.

Sem comentários: